quarta-feira, 15 de junho de 2011

McDonald's oculta painel de azulejos de Pedro Jorge Pinto (1900-1983)

Registo com grande preocupação que o restaurante McDonald's Setúbal Centro ocultou o grande painel de azulejo com a Região dos Três castelos, da autoria do pintor setubalense Rogério Chora de PEDRO JORGE PINTO (1900-1983)***, que lá estava desde os tempos em que o espaço era antigo e centenário café "Esperança". A ocultação deu-se depois das recentes obras que modificaram o mobiliário do restaurante e tranformaram o espaço exterior numa esplanada coberta mais ampla. Em 1998, quando se soube da instalação do McDonald's naquele espaço, Rogério Severino, ilustre jornalista, falecido em 2003, alertava no Setúbal na Rede:

Esperamos que tal pintura, ela também um orgulho dos setubalenses, se mantenha já que não aceitamos que ela seja retirada e se bem que não se encontre classificada ela representa já um património que Setúbal considera como seu. Consideramos que a pintura não incomoda o interior do espaço, pelo contrário, enriquece-o e a cidade certamente não aceitará a sua retirada. (conferir aqui)

Retirar aos setubalenses e aos visitantes da nossa cidade o direito de contemplar esta obra de arte é imcompreensível e um atentado à memória cultural e artística da cidade. Reparei também que as colunas ornamentadas a azulejos, características do espaço foram igualmente ocultadas. Por considerar urgente a reposição do painel deixo aqui este alerta.

***Publiquei este post originalmente em 15/06/2011
Entretanto, surgiu no grupo do Facebook "Setúbal quase Esquecida" um comentário, de Diamantino Vasconcelos, que por achar ter pertinência reproduzo agora. Não sei qual é a fonte do Diamantino Vasconcelos. A minha fonte não era a mais fidedigna. Por isso, procurei no fundo local da biblioteca municipal, mas nada encontrei sobre os ditos painéis. Até nova versão aqui fica:

Diamantino Vasconcelos: Não é importante para a discussão, mas de facto o autor dos painéis do ex-Café Esperança foi PEDRO JORGE PINTO (1900-1983), o mesmo dos painéis do mercado (parede sul, zona do peixe). A grande diferença cromática e conceptual deve-se, claro, à distância de 3 décadas na consecução de uns e outros. Foi o regresso à cidade nos anos 60, do azulejista que já havia tratado temas setubalenses no início da década de 30. Na coleção da Câmara está, por exemplo, uma belíssima aguarela que retrata o chafariz ainda implantado frente à Câmara. Portanto, o seu a seu dono - tanto P.J.P como LUCIANO dos SANTOS trabalharam na decoração em azulejo tanto do ex-café como do Hotel. Aliás, como Manuel Tavares (1911-1974) que terá fornecido tantas aguarelas originais, quantos os quartos do Hotel. Aparentemente tb ninguém sabe o rastro delas. Na remodelação, "desapareceram" ... 


NOTA: Mais alguns apontamentos --> Tive oportunidade, no último Verão, de visitar dois outros McDonald's onde tudo (ou quase) está intacto. Trata-se do antigo Café Imperial, Av. Aliados, Porto (ver, a propósito deste café, o brilhante apontamento de Maria Teresa Castro Costa em http://www.apha.pt/boletim/boletim2/pdf/CafesDoPorto.pdf ), e do McDonald's na Praça da República, em Coimbra, antigo café Mandarim, onde pude constatar que está em muito bom estado de conservação o painel de azulejos de Vasco Berardo, datado de 1960. O café do Porto optou pelo mesmo estilo de nova decoração com aquelas placas decorativas acastanhadas, mas sem tapar nada de relevante. O mesmo estilo é usado no McDonald's do Saldanha, mas curiosamente não é usado no do Jumbo de Setúbal. Lamentável que a remodelação, no Esperança, não tinha tido em conta que havia e há outras alternativas.

Sem comentários:

Enviar um comentário