sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Um bilhete para Lisboa Barreiro, por favor!

Numa época em que se fala de novo aumento nos transportes públicos deixo-vos uma curiosidade histórica: uma tabela de preços das carreiras de barco a vapor que faziam o transporte de passageiros nos rios Tejo e Sado em 1839.


Ir à popa, a parte traseira do navio, custava o dobro de viajar à proa. Partindo do princípio que os preços da tabela estão em réis é possível fazer algumas contas interessantes.

A viagem mais cara entre Lisboa e o Barreiro custava 100 réis, o que corresponde a 10 centavos ou 0,1 escudos ou 0,000498797897 euros. Multiplicando este valor pelo coeficiente de desvalorização da moeda (a tabela foi actualizada por um despacho muito recente) que é 4335,60 chegamos à seguinte conclusão: em 1839, o bilhete mais caro para a travessia Lisboa-Barreiro custava 2,16 euros. O mais barato custava metade desse valor, 1,08 euros. Actualmente a travessia custa 2,10 euros. Lembro que em Julho a mesma viagem custava 1,85 euros.


A viagem entre Setúbal e Álcacer do Sal custava 360 réis (7,79 euros). Hoje em dia, só a travessia de ferry entre Setúbal e Tróia para um carro ligeiro de passageiros custa 11 euros (e o bilhete de passageiro 2,50 euros).


Não tenho inveja dos portugueses de 1839, que deviam viver em condições bem mais difíceis do que as actuais, mas não me importava nada de dar um saltinho àquela época e atravessar o Tejo de vapor por pouco mais de um euro, mesmo que a pitoresca viagem demorasse mais dos que os actuais 15 minutos (ou 20 em dias de mar agitado). Ao menos não havia máquinas idiotas. Um bilhete, por favor!

4 comentários:

  1. Um texto e um achado magníficos! :)

    ResponderEliminar
  2. Daqui a 20 horas e 30 minutos terá passado um mês que nada de novo se vê por estas bandas!

    ResponderEliminar
  3. Caro argumentonio,

    Pode consultar a fonte online através do link:
    http://books.google.pt/ebooks/reader?id=sWZFAAAAcAAJ&printsec=frontcover&output=reader&pg=GBS.PA636

    Collecção da legislação Portugueza desde a ultima compilação das ordenações: Legislação de 1838 a 1839, Volume 11 (e-Livro Google)

    Antonio Delgado da Silva
    Typ. Maigrense, 1838

    ResponderEliminar